CLOTHKITS

Parece que eram famosos nos anos 70.

São kits de costura.

A impressão foi feita sobre tecido, com o padrão no sitio certo, e as marcações de onde coser, onde cortar, ideal para principiantes.

Parece que uma geração cresceu a brincar com estas coisas. Em Inglaterra.

E agora a ideia foi recuperada e reeditada via Clothkits.

Têm vestido para criança, sacos, chapéus de sol, saias para adultos e Bonecas!

As bonecas são hilariantes. Existem também kits para as roupinhas.

Mas o meu preferido é o vestidinho na foto. Com um desenho de Annabel Waterman, nós costuramos o vestido e a destinatária pode colori-lo com as suas próprias mãozinhas.

Descoberto via Four Good Corners

…e mais Monstras

na foto, 4 monstras. A maior é só mesmo minha!

feitas da mesma forma destas galinhas, nas mesmas tardes quentes mas com brisa de Ubud, com o mesmo chá pelo meio e a conversa em frases com verbos no infinitivo.

 

ficam aqui sossegadas à espera que alguém as leve para casa.

na barriga, escondida, não há meninos que se portaram mal, mas apenas um saco para o que der e vier, no mesmo espírito deste

as tais monstras

já tinha prometido falar delas
acho-as tão tão feias que acabam por ser irresistiveis.
e como todas as mulheres, monstras ou não, também têm segredos.
mas estas abrem-se:
e olhem o que lá está dentro:
o saco é feito de pedaços de tecidos tradicionais javaneses
os vestidos das monstras têm pedaços de velhas sedas
e sabem para que são mesmo mesmo úteis?
não me ocorre nada de momento…
mas se as não tivesse feito acho que as teria mesmo de comprar!!!
2 disponiveis

Gui, 5 anos e a perder um dente…

 

Cansada de andar, cheia de xixi e ainda com algum caminho pela frente, a menina precisava de ser entretida. À falta de imaginação começo:

– Boa Tarde como está a senhora? Vai para casa?- pergunto-lhe.

– Sim, sim, tenho os meus filhos à espera e tenho imensos sabe?

– Ai sim? Mas estão sós?

– Não está lá a nanny, mas penso que ela não é muito responsável. Eu falo falo falo mas ela não me ouve.

– Então e quantos filhos tem?

– Bem, tenho 10. 12 são adoptados e os outros 4 fiz na minha barrriga?

– Ahh então tem ajuda do pai desses, não é? ele fica lá a brincar com eles quando sai?

– Não não. Nenhum tem pai. Fi-los sózinhos na barriga. Não encontrei nenhum rapaz inteligente…

…pra lisboa

 

Há dias em que apetece fazer tudo à mão. Pegar em qualquer coisa, fio, pano, botões e construir um objecto sem que mais nada possa interferir.

Há dias em que o nosso desejo ou a frustração de não conseguir controlar o que nos rodeia, ou o que nos afecta, ou o que interfere com o nosso trajecto, nos leva a pegar em fio pano botões e construir um objecto onde controlamos todos os passos.

Sem máquinas de costura a desviarem-se para o lado que lhes apetece, sem bobines que não bobinam, sem agulhas que paralisam.

Não, tudo assim na ponta dos nossos dedos. A crescer, a ganhar cor, a ganhar forma ou desforma.

Mas a brotar como se fosse Primavera. E com joaninhas a trepar até chegarem lá ao cimo que não se sabe bem onde é, porque um cachecol é coisa mais ou menos redonda, mas que quando lá chegam abrem as asas e voam.

Voam.