…de preguiça

DSC03329às vezes venho ver o blog. Leio os ultimos textos e acho-os embaraçosamente ridiculos. Por vezes olho para as estatisticas e os números são pequeninos pequeninos…até faz pena!

É tudo tão relativo e frágil.

Este blog e o Blogui já foram tão importantes na minha vida e representavam uma parte tão significativa dos meus dias. Fiz amigos através dele. Amizades daquelas que não se querem perder e em que se sente a sorte de nos termos cruzado com estas pessoas. Através do blog pessoas conheceram outras pessoas e estabeleceram não só relações de amizade, mas também relacões de uma solidariedade incrivel.

Não escrevo aqui há um ano. E todas as entradas que leio são de um vazio de conteúdo que me faz questionar se não serão simplesmente um reflexo de mim e daquilo em que me transformei.

A vida muda-nos, não é? Ou as circunstâncias. As nossas circunstâncias. Há momentos em que sentimos que o que estamos a viver não deve ser partilhado. Quando o que vivemos envolve outros, por exemplo. E é tão marcado pela presença de outros que não podemos relatar os nossos dias sem os incluirmos, mas sentimos que não temos o direito de os expôr. Como o meu casamento, por exemplo. O Gonçalo é discreto. Não fala de si aos outros. Falar de nós aqui seria uma espécie de traição à forma dele estar na vida. E a Gui cresceu e tem o seu pequeno blog e o direito de escolher o que quer e não quer que seja partilhado. Mas curiosamente, e porque o Blog tinha um papel tão significativo na minha vida, ambos estranham não fazerem parte dele. O Blogui acompanhou uma Gui pequenina, o The Great Craft Disaster uma Gui a quem a mãe tentava fazer coisas. É um registo do processo de crescimento dela que eu poderia ter feito discretamente em casa num Álbum, num Diário, mas que por várias razões fiz aqui. Há um pedaço da vida dela que falta – 4 anos. Os últimos 4 anos, que foram vividos a 3 e não a 2.

Nestes 4 anos crescemos como familia e aprendemos a respeitar e a valorizar os espaços de cada um. Este é o meu espaço e é um espaço que me faz falta. Não faz falta todos os dias. Talvez não faça falta sequer todas as semanas. Mas faz falta quando faz falta e isso é o suficiente.

Quando fizer falta, virei cá…

4 thoughts on “…de preguiça

  1. Alexandra, se o teu blog é vazio de conteúdo então o que dizer do meu e da maioria dos outros que por aí andam?🙂 Ainda há dias estava a pensar no tempo que passou desde que comecei o meu e das voltas que a minha vida deu entretanto. E lembrei-me da Gui, que era tão pequenina e entretanto já se transformou numa mulherzinha. Fico contente por poder voltar a visitar o meu blog favorito, nem que seja apenas uma vez por ano.

  2. Querida,
    Nao importa se muito se pouco, se sempre ou so as vezes.
    Nos estaremos sempre ca a tua espera

    um beijo
    m

    ps: acho que se visse a Gui agora ja nao a conhecia🙂 mas lembro me sempre dela sentadita na mesa do Hotel Timor com um ar muito serio e so os olhos quase ao nivel do prato hehehehe

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s